Castelo de Guimarães


Honra, prestígio e orgulho, são as emoções que sentimos quando visitamos o Castelo de Guimarães. Mas a tanta emoção há ainda a acrescentar a beleza, tanto a arquitetural como a da paisagem circundante, que inclui campos, montanha e sobretudo, a cidade de Guimarães.

Castelo de Guimarães visto do exterior

Índice desta página

História do Castelo de Guimarães

Podemos começar esta história no século X, quando morre o Conde Hermenegildo Gonçalves, proprietário da terras de Vimaranes. Em consequência disso, sua esposa, a Condessa Mumadona, dá inicio à construção de um mosteiro. Este mosteiro é construído no local onde estão situadas, atualmente, a Colegiada e a Igreja de Nossa Senhora da Oliveira.

Todavia, a paz teimava em não chegar. Exércitos muçulmanos vinham do sul, bandos de vikings e piratas chegavam pelo mar e entravam a matar e a pilhar estas terras mal defendidas. Após um desses saques, Mumadona decidiu que era necessário construir um castelo para proteger o mosteiro e para refúgio dos inocentes. Escolheu, dessa forma, o outeiro do monte Latito para erguer uma simples torre e precária muralha. Mesmo assim, o primitivo Castelo de Guimarães cumpria o seu dever.

Condado Portucalense

Com a formação do Condado Portucalense, o Conde Dom Henrique manda, entretanto, remodelar e ampliar o castelo. Passa, dessa forma, a ser a sua residência oficial. Foi, aliás, nesta altura construída a atual Torre de Menagem.

Acesso à Torre de Mengagem do Castelo
Acesso à Torre de Mengaem

Revelam-se obras de diferentes épocas nos distintos aparelhos dos muros e nas siglas, até D. Dinis definir os volumes que aproximadamente perduram – são talvez de D. João I as defesas flanqueadas das portas.

No interior do terreiro, e a norte, persistem as marcas da alcaçova, certamente do século XIV, que ocupavam dois pavimentos, abrindo janelas no muro exterior e com duas chaminés.

Desenhou-se a planta do castelo como um escudo de certa regularidade, de topo para o norte, e, no lado oposto, a aguda ponta encurvada, entre-reforço da robusta torre meridional. Distribuem-se, da mesma forma, três outras torres no encosto amuralhado.

Bem lá em cima, a Torre de Menagem, em planta quadrada, compensa a escassa luz das suas frestas com a panorâmica oferecida pelas ameias. Correm os parapeitos de ameias pentagonais por todo o muralhado, largos e seguros adarves, unindo, assim, torres e cubelos.

Batalha de São Mamede

Após a morte do Conde Dom Henrique em 1112, Dona Teresa, mãe de Afonso Henriques, ficou à frente dos destinos do Condado Portucalense. Tinha apenas 20 anos de idade.

Passados 24 anos, mais concretamente em maio de 1126, Dona Urraca, irmã de Dona Teresa, morre. Seu filho Afonso sobre ao trono de Leão e Castela e, de imediato, preocupado com a fronteira oriental de seus estados, não quis deixar insegura a situação do Condado Portucalense.

Obrigou, assim, Dona Teresa, sua tia, a jurar-lhe fidelidade. Posteriormente, em 1127, cercou Dom Afonso Henriques em Guimarães, só levantando cerco depois de ficar convencido que seu primo aceitava a vassalagem à coroa leonesa. É provável que tenha sido nesse momento que Egas Moniz tenha feito a célebre promessa que depois não foi cumprida.

Nos meses de abril, maio e junho de 1128 intensificam-se preparativos para um mais que certo confronto.

Guimarães é das primeiras praças a declarar-se pelo Infante. Seguiu-se Braga, com 14 hectares muralhados e 5000 habitantes, e todas as povoações mais significantes do Douro e Entre Douro e Minho. Afonso Henriques instala, dessa forma, o seu quartel-general em Guimarães. Por essa altura, D. Teresa encontrava-se em Coimbra com Fernando Peres.

Forças de D. Teresa marcham em direção a Guimarães

As forças de D. Teresa marcham para norte e estacionam, provavelmente, na zona do Convento de São Torcato.

Entretanto, D. Afonso Henriques, certamente após difícil reflexão e conselho de Egas Moniz e do arcebispo de Braga, decide travar a batalha contra as forças leais à sua mãe.

Ouvida missa às primeiras horas da manhã daquele dia santo, o dia de São João, D. Afonso Henriques sai de Guimarães ao encontro do inimigo.

A Batalha ocorreu a 2 ou 3 Km do Castelo, numa pequena planície não longe de São Mamede de Aldão, no caminho de Guimarães para São Torcato.

Os 600 homens de Dom Afonso Henriques carregam sobre o inimigo que, aparentemente confuso, não oferece resistência. Não estaria organizado, não dsiporia de ânimo para combater, não tinha uma causa que lhe movia o coração… É esmagado e foge em debandada.

Em suma, foi assim que, para muitos, no dia 24 de junho de 1128 nasceu a nação portuguesa.

Localização do Castelo

O acesso ao castelo faz-se pela Rua Conde Dom Henrique. Clique na imagem seguinte para abrir um mapa.

Localização do Castelo - vista aérea (satélite)
Localização do Castelo de Guimarães

Quanto custa o bilhete para o Castelo de Gumarães?

O preço de um bilhete de adulto para aceder ao Castelo de Guimarães custa 2€. No entanto, poderá adquirir um bilhete que lhe permite entrar tanto no Castelo como no Paço dos Duques de Bragança por 6€.

Existe, ademais, outro bilhete por 8€ que permite o acesso ao castelo, ao Paço e ao Museu de Alberto Sampaio.

A Bilheteira exclusiva para todos os Monumentos está situada no Paço dos Duques.

Descontos especiais

Têm 50% de desconto, mediante a apresentação do respetivo comprovativo:

  • Visitantes com idade igual ou superior a 65 anos;
  • Cartão de Estudante com indicação do prazo de validade;
  • Cartão Jovem;
  • Família Numerosa (2 adultos e filhos) com documento emitido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas;
  • Bilhete de Família (a partir de 4 elementos com ascendência e/ou descendência em linha reta, ou equivalente).

Entrada Livre aos Domingos e Feriados para todos os cidadãos residentes em território nacional, bem como para:

  • Crianças até aos 12 anos, desde que acompanhada por um adulto;
  • Professores e alunos quando comprovadamente em visita de estudo;
  • Cidadãos residentes em território nacional, no ano civil em que perfaçam 18 anos.

Referências e biografia

Para o desenvolvimento deste artigo foram consultadas as seguintes obras ou páginas web:

  • SIPA Castelo de Guimarães
  • Os Mais Belos Castelos de Portgal, Júlio Gil, Editorial Verbo, 1986
  • A Batalha de S. Mamede, Revista Portuguesa de História, Tomo XVII, Coimbra, 1977

Foram utilizadas fotografias ao abrigo da licença Creative Commons:

Onde ir a seguir?

Se ainda está em Guimarães aproveite e visite entretanto o magnífico centro histórico. Temos desde já diversos artigos alguns dos monumentos de Guimarães, como por exemplo o Convento de S. Domingos.

Miguel Pinto

Sou o editor principal do site Cidades Portuguesas. Adoro explorar todos os pormenores que deram origem à riqueza cultural das povoações portuguesas. Neste site pretendo dar a conhecer as cidades através dos seus monumentos históricos, das suas igrejas, das suas gentes.

Artigos Recentes